FORUM SUL-AMERICANO de Economia Circular está suspenso.
Ainda não há previsão de nova data para acontecer.

A indústria na vanguarda da
economia circular

Não é de hoje que nós da Fiesp, do Ciesp, do Sesi e do Senai de São Paulo, reconhecemos que, sem um compromisso de todos com o desenvolvimento sustentável, comprometeremos não apenas a competitividade da nossa indústria e o crescimento econômico, mas principalmente o futuro do planeta.

É por isso que há anos promovemos estudos, debates e exposições relacionados ao tema da sustentabilidade, além de prêmios que reconhecem e estimulam esforços do setor produtivo nessa área. Parte fundamental do trabalho envolve também apoio técnico às indústrias na busca por eficiência energética, redução da emissão de gases de efeito estufa e de descarte de resíduos, além de melhoria nos processos produtivos.

Assim, reciclagem, logística reversa, economia de baixo carbono, entre outros, são aspectos nos quais já somos protagonistas e que a indústria brasileira já pratica com sucesso. Porém, é hora de darmos o próximo passo, ou seja, de ajudarmos nosso setor produtivo a estar na vanguarda também do desafio atual, que é o da economia circular.

O modelo linear, ou seja, aquele que começa pela extração da matéria prima, passa por sua transformação e seu uso, e se encerra com o descarte de resíduos, está se esgotando. A economia circular é a alternativa para esse modelo, pois se inspira naquilo que sempre prevaleceu na natureza, ou seja, que nada se perde, tudo se transforma. Assim, sob essa perspectiva, a escolha da matéria prima, o processo produtivo, as embalagens, o transporte, o reaproveitamento do que seria descarte, enfim, todo o ciclo é revisto para não apenas preservar o meio ambiente, mas também para criar um sistema de produção regenerativo.

É com base nesse espírito que lançamos esse portal de Economia Circular. Para unir em um mesmo local todas as iniciativas da indústria e de suas entidades para promover essa revolução, como o Fórum Sul-Americano de Economia Circular 2020, entre outros eventos, cursos e publicações.

Assim, por meio dessas e muitas outras ações, Fiesp, Ciesp, Sesi e Senai promovem a inserção definitiva da indústria nessa mudança de paradigma, que nos permitirá enfrentar os desafios complexos das próximas décadas. Faremos isso pensando não apenas no sucesso do setor produtivo, mas também no futuro do planeta.

Paulo Skaf
Presidente da Fiesp, do Ciesp, do Sesi e do Senai

Sobre
este site

Fiesp, Ciesp, Sesi e Senai de São Paulo reconhecem a urgência de uma mudança global nos meios de produção e no comportamento da sociedade, para assim garantir o crescimento sustentável e o futuro do planeta. Portanto, estão engajados na missão de capacitar o setor produtivo brasileiro a promover sua transição para a Economia Circular. Para isso, desenvolvem estudos, publicações, projetos, prêmios e eventos que serão reunidos neste portal.

Uma das principais iniciativas é o Fórum Sul-Americano de Economia Circular, realizado em parceria com a Sitra, fundo de inovação finlandês que organiza o World Circular Economy Forum. A iniciativa global congrega mais de 2.000 líderes de negócios, formuladores de políticas e especialistas de todo o planeta para apresentar as melhores soluções de economia circular do mundo.

Vamos trabalhar juntos para enfrentar o desafio de implementar a Economia Circular. Fique por dentro da ideia que tem mudado as formas de produção e do consumo em todo o mundo!

O que é
ECONOMIA CIRCULAR

O padrão atual de produção no mundo é linear, baseado na extração de matéria prima, transformação, uso e descarte de resíduos, o que trouxe um crescimento econômico sem precedentes, mas está com os dias contados. Se o consumo de recursos naturais se mantiver nesse modelo, as reservas disponíveis para alguns materiais se esgotarão em algumas décadas.

Fluxo economia linear

É urgente a necessidade de uma mudança global para desvincular crescimento da demanda crescente por matérias-primas e recursos naturais à medida que a população mundial fica cada vez maior. É preciso repensar os meios de produção e os padrões de consumo.

A Economia Circular surge como um contraponto a esse modelo linear. Esse novo padrão associa crescimento econômico a um ciclo de desenvolvimento que defende o uso mais eficiente dos recursos naturais e aumento da competitividade da indústria, com a administração de estoques finitos e fluxos renováveis. Além disso, permite que as empresas possam reduzir custos e perdas produtivas, gerando novas fontes de receita e diminuindo sua dependência de matérias-primas virgens.

Fluxo economia linear

A transição para a Economia Circular demanda uma coordenação entre medidas tanto do setor público quanto do privado. Por um lado, são necessárias iniciativas públicas que englobem ações regulatórias, fiscais, incentivos financeiros e de inovação, além de campanhas educativas. Por outro, empresas e entidades privadas assumem um papel essencial na aceleração dessa transição ao implementarem modelos de negócio inovadores. Exemplos disso são a prestação de serviço em vez da venda do produto, o uso de plataformas colaborativas, além do investimento em novas cadeias produtivas para a reutilização, manutenção, remanufatura e reciclagem de produtos.

A adoção das práticas da economia circular pelo setor industrial, precisa ser encarada como fator estratégico de sobrevivência, oportunidade de redução dos custos de produção, mas sobretudo como fator de competitividade e atendimento à exigências legais e normativas para sua inserção em mercados globais, especialmente em função de acordos internacionais.

Contato

Departamento de Desenvolvimento Sustentável da Fiesp
Av. Paulista, 1313 – 5º andar
(11) 3549-4675
cdma@fiesp.com.br